Campeonatos
Publicidade

Por Davi Bicalho, Para o TechTudo

Divulgação/Riot Games Brasil

O Campeonato Mundial de League of Legends 2022 está prestes a começar. Na próxima quinta-feira (29), as melhores equipes do mundo darão tudo de si para levantar a Copa do Invocador. A LOUD, representante brasileira, foi sorteada no Grupo A do torneio e enfrentará outras cinco equipes de diferentes regiões do planeta na fase de entrada.

Os campeões do CBLOL têm um difícil desafio: vencer fortes equipes do cenário para tentar a classificação aos playoffs e fazer história para o Brasil. Sabendo disso, o TechTudo montou uma lista para analisar e contar um pouco da história de Fnatic, Evil Geniuses, Beyond Gaming, DetonatioN FocusMe e Chiefs. Confira a seguir.

Depois de um milagre, a Fnatic conseguiu sua vaga no Worlds — Foto: Divulgação/Riot Games

Fnatic (Europa)

Classificada como seed 3 da LEC, a Fnatic chega como grande favorita no Grupo A da Fase de Entrada. A equipe europeia usará a sua enorme tradição, somada ao forte elenco para fazer frente com as favoritas ao título. Para isso, eles contarão com a liderança de nomes de peso como Martin "Wunder" e Zdravets "Hylissang", jogadores que já foram finalistas do mundial.

Presente desde o início do cenário competitivo de LOL, a Fnatic é um dos times mais antigos do mundo, tanto que não só participaram da primeira edição do torneio em 2011, como foram os grandes campeões daquela edição. Desde então, eles quase sempre se fazem presentes no mundial, fazendo boas campanhas como a de 2018, quando foram finalistas, perdendo para a Invictus Gaming por 3 a 0.

Evil Geniuses (América do Norte)

Campeões da LCS no primeiro split e sob o comando do coach brasileiro Gabriel "Turtle", a EG fez uma segunda etapa pouco convincente. O time norte-americano precisou disputar a chave inferior para buscar uma vaga no Worlds, tendo que fazer uma importante mudança, a substituição do atirador turco Muhammed "Kaori" no lugar de Kyle "Danny" para a disputa dos playoffs.

A EG nunca disputou um mundial e também é uma das favoritas para sair da fase de entrada. Para isso, a organização contará com elenco alternado entre nomes experientes como o coreano Jeong "Impact", campeão do mundo pela SKT em 2013, com jovens promessas como o canadense Joseph "jojopyun". A expectativa é que eles consigam fazer bons jogos como fizeram no MSI deste ano, quando chegaram às semifinais do torneio internacional.

A Evil Geniuses disputará seu segundo torneio internacional do ano — Foto: Divulgação/Evil Geniuses

Beyond Gaming (Taiwan/Hong Kong/Macau/Sudeste Asiático)

O time taiwanês vem como seed 2 de sua região e chega como uma grande dúvida para a fase de entrada. Com nomes pouco conhecidos, a Beyond apresentou uma gameplay bagunçada e pouco convincente na temporada da PCS. Assim, eles vão precisar se mostrar contra equipes melhores no grupo para conseguir avançar.

A BYG disputará seu segundo mundial consecutivo, desta vez, tentando fazer uma campanha melhor que fez na Islândia em 2021, quando ficaram em quarto no Grupo B, sendo eliminados para a Hanwha Life na MD5 decisiva. Dentre os destaques, o Caçador Huang "HuSha" foi o que apresentou uma melhor performance no ano e, certamente, terá que guiar a equipe na jornada pelo Evento Principal.

A Beyond Gaming tentará sair da Fase de Entrada depois de uma campanha ruim em 2021 — Foto: Divulgação/Beyond Gaming

DetonatioN FocusMe (Japão)

Os reis do Japão chegam para mais um campeonato mundial, o quarto de sua história. Sendo considerada uma região emergente em enorme ascensão, o Japão tenta repetir o feito do Worlds 2021, quando ficaram em primeiro na chave, indo direto aos Grupos. Desta vez, a tarefa é mais difícil, tendo em vista que os adversários são de um nível melhor que no ano passado.

A DFM mantém a mesma base dos últimos anos, tendo jogadores de muito experiência no elenco, como o Topo Shunsuke "Evi" e o Atirador Yuta "Yutapon". No MSI deste ano, a equipe japonesa saiu com apenas uma vitória no torneio, agora eles precisam suar a camisa para novamente fazer história e elevar o patamar da região.

A DFM tentará se classificar ao Evento Principal assim como fez em 2021 — Foto: Divulgação/DetonatioN FocusMe

Chiefs (Oceania)

Estreando no mundial, a Chiefs pode ser tida por muitos como uma organização inexperiente, porém, eles conseguiram montar praticamente uma seleção da Oceania, juntando nomes de peso para formar uma equipe extremamente competitiva. A Chiefs chega ao Worlds após uma campanha surreal na LCO, vencendo 27 partidas e perdendo apenas uma na grande final.

Mesmo sem ter ido ao palco do mundial, a equipe australiana já bateu na trave algumas vezes, tendo em vista que disputaram o extinto International Wildcard, evento que dava vaga aos Worlds – inclusive, o time jogou o que foi disputado no Brasil em 2016, ficando na sexta posição naquela ocasião. Devido ao histórico de vitórias contra o Brasil, a Oceania chega para fazer frente e será uma pedra no sapato da LOUD este ano.

A Chiefs também enfrentou um time brasileiro no Mundial de 2021 — Foto: Divulgação/ESL

Com informações de LoL Esports e Fandom

Mais do TechTudo