5G
Publicidade

Por Thássius Veloso (@thassius), do TechTudo — Rio de Janeiro

Carolina Ochsendorf/TechTudo

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou que a internet 5G chegará ao Rio de Janeiro a partir de 22 de agosto. Além da capital fluminense, a nova geração da rede móvel também será liberada em Florianópolis (SC), Palmas (TO) e Vitória (ES) na semana que vem. A determinação partiu do Gaispi, grupo que organiza a limpeza da faixa de 3,5 GHz, utilizada pela nova tecnologia.

Os novos municípios se juntam a Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, João Pessoa, São Paulo, Curitiba, Goiânia e Salvador. Neste primeiro momento, o foco do governo é liberar o chamado 5G puro (ou 5G SA, no linguajar técnico) nas capitais.

Confira tudo sobre o 5G no Brasil

Confira tudo sobre o 5G no Brasil

O conselheiro Moisés Queiroz Moreira, que preside o Gaispi, explicou que Claro, TIM e Vivo poderão ativar o sinal nas novas regiões. Em Florianópolis, por exemplo, cada empresa teria que iniciar o 5G SA com 6 antenas 5G. Foram solicitadas 43 autorizações até o presente momento.

De acordo com o superintendente de Outorgas da agência, Vinícius Caram, as operadoras devem seguir o edital do leilão do 5G, cujo cronograma de instalação de antenas se baseia na quantidade habitantes. “Nós esperamos cobertura máxima do 5G num prazo de quatro anos”, conclui.

O 5G SA – também chamado de 5G puro – trafega numa nova frequência, o que o diferencia do 4G e de outras tecnologias já existentes. O protocolo de transmissão de dados alcança velocidades entre 20 e 50 vezes maiores, além de permitir a conectividade de um maior número de dispositivos, o que possibilitará, no futuro, a integração de carros autônomos e robôs.

Também reduz muito a chamada latência, que é o tempo entre o envio de um sinal e a chegada dele na outra ponta. Este avanço abrirá portas para cirurgias à distância, com uso de robôs médicos.

É necessário ter um celular compatível com 5G para acessar a nova rede. Além disso, algumas operadoras exigem a troca de chip caso o consumidor queira acessar o 5G SA – em capacidade máxima.

Fachada da Anatel — Foto: Divulgação/Anatel

Mais do TechTudo