5G
Publicidade

Por Rômulo Diego Moreira, para o TechTudo

Reprodução/Freepik/sutadimages

A expansão da internet 5G no Brasil continua a todo vapor. Brasília foi a primeira cidade que recebeu a conexão que garante altíssima velocidade. Em seguida, Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB), Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP) passaram a ter a faixa funcionando. No entanto, existem diferentes tipos de internet 5G, o que interfere na forma de propagação e na velocidade da tecnologia. Nas linhas a seguir, conheça todos os detalhes e as diferenças entre as variantes da nova rede móvel.

Apesar de trazer o indicador do "5G" no celular, o 5G DSS é uma tecnologia intermediária e não traz todo o potencial da nova conexão. Em alguns testes do TechTudo, o DSS conseguiu velocidade 2,4 vezes mais rápida que 4G. Conhecido como "5G puro", o padrão SA apresenta infraestrutura própria e sem dependência de antenas utilizadas pela rede anterior. Ainda existe o 5G NSA, que utiliza parte da infraestrutura do 4G — por isso é classificado como "impuro".

Tudo sobre o 5G no Brasil; confira no vídeo abaixo

1. 5G SA (o "5G puro")

iPhone 13 Pro Max ainda precisa de atualização para receber o "5G puro" — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

A rede móvel 5G SA, também chamada de "5G puro", representa a tecnologia mais moderna, que precisa de infraestrutura própria e sem a dependência das antenas utilizadas no sistema antigo. Com isso, ela conta com uma radiofrequência exclusiva.

Para utilizar a quinta geração de internet móvel, o usuário precisa ter um celular ou tablet compatível com a tecnologia. Além disso, alguns dispositivos ainda vão precisar de uma atualização de sistema para que os aparelhos se conectem ao chamado 5G "puro", como no caso do iPhone. Atualmente, os celulares da Apple — a partir do iPhone 12 — são compatíveis com a tecnologia.

Vale mencionar ainda que, provavelmente, a depender da operadora, o usuário vai precisar trocar de chip para garantir a utilização do sinal em altíssimas velocidades de conexão. Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a expectativa é que a nova rede esteja disponível em todas as capitais até o final de setembro.

2. 5G NSA (o "5G impuro")

Galaxy S20 FE tem conexão disponível no padrão NSA — Foto: Fábio Oberlaender/ TechTudo

O padrão NSA usa o mesmo núcleo de rede do atual sistema 4G. Com a adoção desse tipo de infraestrutura, ele é classificado como "impuro". Atualmente, ele está em uso em mais de 200 operadoras de telefonia pelo mundo.

A Anatel já homologou quase 70 smartphones com essa tecnologia. Esses dispositivos pertencem às mais variadas marcas disponíveis no mercado como, por exemplo, Samsung, Apple, Motorola, Realme e Xiaomi, entre outras. Encontrar um smartphone com suporte à tecnologia deve ser cada vez mais frequente no mercado brasileiro. Geralmente, eles estão disponíveis para o padrão 5G NSA.

O benefício mais relevante em relação ao 5G NSA é o fato de os usuários não precisarem mudar de chip para usufruir da nova tecnologia. Com a implementação do 5G no Brasil, vai ser possível navegar com muito mais conforto na hora de ver a série favorita ou jogar online.

3. 5G DSS (o "5Gzinho")

Motorola Edge conta com a tecnologia 5G DSS — Foto: Divulgação

O 5G DSS é um modelo que usa toda a infraestrutura de rede do padrão de internet móvel da geração anterior. Isso significa que os clientes 5G vão se conectar à mesma rede que atualmente também atende o 4G. As antenas compatíveis vão liberar velocidade maior quando detectarem aparelhos com a disponibilidade de conexão para o DSS.

A promessa para essa tecnologia intermediária era de 12 vezes mais velocidade que o 4G, mas o número não bate com o que apurou o TechTudo junto a outras fontes do setor. A operadora Claro não revelou o download médio considerado no cálculo. A tendência é a tecnologia 5G DSS ter um alcance limitado para atender regiões das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Essa versão, portanto, consegue alcançar números bem mais tímidos em relação às outros padrões da nova rede móvel, conforme mostrou o relatório da consultoria Opensignal. O DSS conseguiu conexão 2,4 vezes mais rápida que 4G. Além disso, o recém-lançado Motorola Edge é o único aparelho à venda no país que traz a função.

Também conhecido como "5Gzinho", o 5G DSS pode ser considerado um "meio-termo" entre o 5G de verdade e o 4G. Apesar isso, o sistema traz a garantia de uma experiência melhor para quem possui um celular compatível com a nova geração da tecnologia. Contudo, os resultados estão bem longe da latência e da rapidez do 5G de verdade.

Mais do TechTudo