Robótica
Publicidade

Por Igor Nishikiori, para o TechTudo


Quem não tem tempo de cuidar de um bichinho de estimação agora pode ter um amigo tech em casa. O Loona é um robô pet desenvolvido pela empresa chinesa Keyi Technology. Segundo a fabricante, ele é capaz de reconhecer os sentimentos humanos, além de demonstrar mais de 700 tipos de emoções. O gadget ainda pode seguir seu dono pela casa e pedir para brincar como um bicho de verdade. Por enquanto, o Loona não está à venda, mas a meta no projeto de financiamento coletivo no Kickstarter já foi batida, com valores a partir de US$ 299 (cerca de R$ 1.570).

Para interagir com seus donos, o robô conta com diversos sensores. Quatro microfones ficam posicionados na cabeça para ouvir aos comandos de voz, que são processados pelo software Amazon Lex. Além disso, há uma câmera 3D-ToF (Time of Flight, tempo de voo em português) que analisa o ambiente para evitar colisões. Por fim, há uma câmera RGB que detecta movimentos de objetos, como uma bolinha de brinquedo.

Robô pet Loona reconhece o dono e consegue até brincar com feixes de laser — Foto: Divulgação/Keyi Technology

Para se locomover, o robô pet conta com quatro rodas e seis motores, que permitem que ele rodopie em 360° e consiga ficar sobre “duas patas”. Ele pode tanto andar de forma autônoma quanto ser controlado remotamente pelo app do smartphone, transformando-o em uma câmera de monitoramento. Além de Wi-Fi, o Loona ainda pode ser conectado via Bluetooth 5.0.

O grande atrativo, porém, está na capacidade do robô pet de demonstrar até 700 tipos de emoção. Isso ocorre por meio de seu display LCD de 2,4 polegadas ou pelo movimento das orelhas.

Quando ele está feliz, por exemplo, suas orelhas se agitam e os olhos demonstram alegria. Segundo a Keyi Technology, em breve será possível também criar suas próprias expressões faciais para o Loona usando um software editor.

Robô pet Loona é capaz de demonstrar mais de 700 tipos de emoção — Foto: Divulgação/Keyi Technology

Para processar tudo isso, o Loona conta com um processador quadcore Cortex A53 de 1,5 GHz, que pode realizar até 54 trilhões de cálculos neurais por segundo. Além disso, há um processador auxiliar dualcore capaz de realizar 5 tera operações por segundo. Isso equivale a 25% da capacidade de um PC, algo raro de se ver em robôs comerciais.

A capacidade de expressar emoções de maneira cartunesca faz de Loona uma espécie de sucessor espiritual do robô Cozmo da Anki. Lançado em 2016, o mini robô teve suas expressões faciais elaboradas com ajuda de animadores da Pixar. A Anki acabou falindo em 2019 e posteriormente foi comprada pela Digital Dream Labs em 2021.

Este não é o primeiro robô criado pela Keyi Technology. Em 2020, a empresa também lançou via financiamento coletivo o ClicBot, um robô modular voltado para crianças que desejam aprender programação. O kit básico custa a partir de US$ 449 (cerca de R$ 2.358).

Com informações de KickStarter e TechCrunch

No vídeo abaixo, veja três coisas bizarras que a tecnologia permitiu fazer na última década

3 coisas bizarras que a tecnologia permitiu fazer na última década

3 coisas bizarras que a tecnologia permitiu fazer na última década

Mais do TechTudo